domingo, 2 de junho de 2013

MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO



MASP
Inaugurado em outubro de 1947 por Assis Chateaubriand, o Museu de Arte de São Paulo (Masp) é fruto de uma aventura de duas pessoas com visão revolucionária para sua época e apoiadas por um grupo de amigos.
Fundador e proprietário dos Diários e Emissoras Associados, juntamente com o professor Pietro Maria Bardi, jornalista e crítico de arte na Itália recém chegado ao Brasil, Chateubriand criou a coleção mais importante do hemisfério Sul. O feliz encontro entre eles alinhou o Brasil com os países de primeiro mundo no universo das artes.
O projeto que vinha sendo cultivado há décadas obteve muito sucesso após inaugurado, arrecadando os fundos necessários à aquisição de obras de arte para formar o acervo do museu.
Lina Bo, arquiteta modernista italiana e esposa do professor Bardi, concebeu arquitetonicamente o prédio atual do Masp. O terreno da Avenida Paulista havia sido doado à municipalidade com a condição de que a vista para o centro da cidade, bem como para a Serra da Cantareira, fosse preservada. Assim, ela idealizou um edifício sustentado por quatro pilares, permitindo, assim, aos que passam pelo local descortinar o centro da cidade. Em construção civil é único no mundo com o corpo principal pousado sobre quatro pilares laterais com um vão livre de 74 metros.
 
O Masp mantém pinacoteca, biblioteca, fototeca, filmoteca, videoteca, cursos de artes e serviço educativo de apoio às exposições, exibição de filmes e concertos musicais de interesse artístico e cultural. Desse modo, coloca-se como primeiro centro cultural de excelência em nosso país.

O visitante pode apreciar no edifício da Avenida Paulista obras da escola italiana incluindo Rafael, Andrea Mantegna, Botticceli e Bellini; de pintores flamengos como Rembrandt, Frans Hals, Cranach ou Memling e espanhóis como Velazquéz e Goya.
A maior parte do núcleo de arte européia do Masp é de pintura francesa. Podemos apreciar os quatro retratos das filhas de Luiz XV, pintados por Nattier, ou as alegorias das quatro estações de Delacroix. Do movimento impressionista, encontramos obras de Renoir, Manet, Monet, Cézanne e Degas. Dos pós-impressionistas é possível ver quadros de Van Gogh e de Toulouse-Lautrec.
Um dos destaques do acervo é o espaço dedicado à coleção completa de esculturas de Edgar Degas. Em bronze e com 73 peças, só pode ser vista integralmente em poucos museus, como Metropolitan, em Nova York, e no Museu D`Orsay, em Paris, além do Masp.
O espaço foi criado para ser dinâmico, com perfil de centro cultural. Por isso possui espaços diferenciados para realização de exposições temporárias. O visitante sempre encontra uma novidade em sua visita ao local, por mais frequente que seja. As exposições temporárias apresentam os mais variados temas ou suportes. Exposições nacionais e internacionais de arte contemporânea, fotografia, design e arquitetura se revezam durante o ano, trazendo ao público um universo de imagens.
O Masp também apresenta projetos musicais, cinema e palestras. Os dois auditórios projetados por Lina destinam-se a essas atividades.

SURPREENDA !